Buscar
  • Time macON

A sua empresa valoriza os pontos fortes da sua equipe?

Você com certeza já ouviu a frase “Você pode ser o que você quiser, basta se esforçar”, certo? Mas já parou para pensar se isso é real? Alguma vez você treinou tanto para se sair bem em alguma coisa e acabou se frustrando por não ter sido tão bem sucedido? Talvez uma aula de violão, ou um esporte, uma prova…


Com certeza alguém já tentou ser tão bom quanto o Michael Jordan no basquete e se frustrou em não atingir. Primeiro por não ter as características de um jogador de basquete, como a altura, mas também pela falta do principal: o TALENTO.


Desde pequenos somos treinados a estudar/aprender/praticar aquilo que ainda não somos bons, com a falsa ideia de que podemos ser o que quiser, basta dedicação e treino. Sempre focamos na matéria da escola que vamos mal. Quando no âmbito profissional, buscamos colocar em prática as habilidades que não temos bem desenvolvidas, e por aí vai. Mas será que essa é a melhor forma de aproveitarmos o nosso potencial?


No fim criamos pessoas e funcionários insatisfeitos e improdutivos, pois estão sempre focados em desenvolver aquilo que não são seus talentos, o que lhes falta. O que acaba criando pessoas infelizes, na maioria das vezes insatisfeitas com o resultado e não motivadas. Ao invés de buscarmos reforçar o que parece óbvio: usar os talentos dessa pessoa.


Isso significa que se eu sou um líder, que preciso desenvolver a minha comunicação, mas mesmo assim sou um ótimo líder, com muita empatia, eu preciso desistir dessa carreira e começar uma totalmente nova porque desenvolver a comunicação será algo desgastante?

Não! Nem 8, nem 80! É claro que podemos buscar melhorar certos aspectos em nosso desempenho, o ponto é não tentar ser alguém que você não é.


Uma pesquisa científica, desenvolvida pelo instituto Gallup, que originou o livro “Descubra Seus Pontos Fortes” 2008, dos autores Marcus Buckingham E Donald O.Clifton, aponta que cada um de nós tem um potencial de sucesso maior em áreas específicas e que a chave para o desenvolvimento humano é crescer a partir do que você já é.


Essa pesquisa aponta que nossos pontos fortes são constituídos por três aspectos: conhecimento, talento e técnica. Combinando estes três fatores, ponto forte é aquilo que você pode realizar de forma consistente e quase perfeita. Conhecimento e técnica são aspectos de fato a serem desenvolvidos, mas talento é único!


Conhecimento é tudo aquilo que se aprendeu, seja através de livros, cursos, manuais, e até mesmo experiência. Técnica é uma sequência de passos que levarão a um desempenho aceitável. E, o principal, o talento é qualquer padrão recorrente e inato de pensamento, sensação ou comportamento que possa ser usado produtivamente. O talento é natural.


O talento é desenvolvido através de conexões sinápticas em nosso cérebro, até os 15 anos, aproximadamente, depois disso o nosso cérebro vai perdendo, e as que se mantiveram, são permanentes, e, dificilmente, possível esboçar novos desenhos. Elas dominam as nossas decisões nossa intuição, a maneira de agirmos instintivamente, influenciando a nossa performance.


O livro “Descubra Seus Pontos Fortes” traz os 34 talentos mapeados pelo instituto Gallup que o ser humano pode ter, sendo 5 dominantes em cada indivíduo, aqueles que de fato atuam no dia a dia. Tem também um teste que pode ser feito, que auxilia a descobrir quais são os 5 pontos dominantes do leitor.


Mas eu não vim aqui fazer uma propaganda do livro, mas sim questionar: na sua equipe você valoriza os pontos fortes de cada indivíduo? Ou você vem trazendo feedbacks de como assumir uma posição que exigem talentos que essa pessoa não possui?


O primeiro passo para auxiliar o seu funcionário a se destacar é reconhecer a singularidade de cada um, cada indivíduo terá uma visão para cada problema. Sendo assim, frente a um desafio específico, reflita quem na sua equipe tem as características para enfrentar essa situação? Vou colocar para apresentar um projeto complexo, uma pessoa que se comunique bem, que traga clareza e detalhes.


Ajude os seus liderados a se auto conhecerem, a inteligência e eficiência de cada um depende do quanto eles tiram proveito dos seus talentos, dos seus pontos fortes. Ao passar um feedback, reflita se você está exigindo que essa pessoa ocupe um cargo que não combina com ela, ou se é de fato um ponto forte que ela tem e possa tirar o máximo proveito dele.


Não estou dizendo que não se possa mais exigir melhorias da sua equipe, mas refletir se ela está alocada da forma mais estratégica para sua empresa. Afinal, uma equipe insatisfeita, que passa mais tempo buscando aperfeiçoar algo que não é natural para ela, traz mais gastos para a empresa, através do dinheiro parado e improdutivo, do que investir em contratações certas.


Por fim, invista em suas contratações, busque conhecer a fundo os pontos fortes de cada indivíduo, tome tempo para tomar uma boa decisão, com certeza isso trará maior produtividade para a sua equipe.


Essa reflexão também vale para as pessoas que você promove. Promova a líderes indivíduos que possuam aspectos de líderes, e promova à um cargo sênior indivíduos que sejam gostem e possuam experiência com o operacional.


Nem todos precisam e desejam liderar uma equipe, mas sim pretendem subir na carreira, seja ela qual for.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo